Sialadenite auto-imune (Lesão linfoepitelial benigna)

O esfregaço assemelha- se a um linfonodo: pequenos linfócitos, células linfocitárias foliculares, células epiteliais, células plasmáticas em predomínio. Células epiteliais da glândula salivar acometida também estão presentes, são entremeadas no fundo. A lesão é muitas vezes cística,  o que origina um aspirado fluídico. Células acinares da área circundante e células ductais proliferadas estão presentes. As células epiteliais podem apresentar alterações osmóticas: citoplasma mal definido, núcleo maior e mais pálido. Em caso de proliferação linfóide folicular a diferenciação com Linfoma pode ser difícil. A lesão pode estar relacionada ou ser parte da Síndrome de Sjögren.

Histologia: tecido linfoide destruído ocupando a glandula salivar com ilhas de células mioepiteliais sobrepostas  
Histologia: tecido linfoide destruído ocupando a glandula salivar com ilhas de células mioepiteliais sobrepostas  

 

Cytology fo the autoimmune sialoadenitis: destruction is represented by cystic change; lymphoid tissue is dominating the picture ; cristalloid as part of the cystic content is also visible 
Citologia da Sialoadenite  autoimune:  a alteração cística demonstra a destruição; há predomínio de tecido linfoide; o cristaloide que é parte do conteúdo cistico está visível.
Citologia da Sialoadenite  autoimune:  a alteração cística demonstra a destruição; há predomínio de tecido linfoide; o cristaloide que é parte do conteúdo cistico está visível.

 

Citologia da Sialoadenite  autoimune:  a alteração cística demonstra a destruição; há predomínio de tecido linfoide ;  as células estão altamente frágeis.
Citologia da Sialoadenite  autoimune:  a alteração cística demonstra a destruição; há predomínio de tecido linfoide ;  as células estão altamente frágeis.
Citologia da Sialoadenite  autoimune:  a alteração cística demonstra a destruição; há predomínio de tecido linfoide ;  as células estão altamente frágeis.

 

X